Brasil - revisitando alguns mitos

 

Maria Helena Mandacarú Guerra

 

Resumo: Este texto versa sobre alguns mitos que ilustram, segundo a perspectiva da autora, o momento que o Brasil está atravessando. Os temas míticos são aqui utilizados não apenas como apoio a uma reflexão, mas como uma proposta de enfrentamento da sombra coletiva que emergiu em nosso país. O texto afirma que a difícil resposta para nossa crise está na elaboração de nossa posição masoquista e de menos-valia enquanto povo, o que só será possível pelo fortalecimento da consciência no padrão de alteridade. Para tanto, os arquétipos matriarcal (que gere a satisfação de necessidades básicas) e patriarcal (que permite afirmar os direitos fundamentais) precisam ser reconhecidos e integrados à consciência coletiva.

Identidade e Herança: símbolos em conflito

 

 

Celia Brandão

 

Resumo: O presente artigo trata do tema da herança como elemento constitutivo da identidade. Toda herança se apresenta como possibilidade de continuidade de um ser finito e, paradoxalmente, é matéria a ser transformada na busca de identidade de todo indivíduo, cultura e sociedade. O conflito entre identidade e herança possibilita o resgate simbólico da memória individual e coletiva de um lado, e de outro, a fluidez dos laços. O princípio de equidade no direito à herança e a busca de diferenciação de todo humano permeiam o processo de individuação. Quando esse processo é afetado pela perda da conexão com fatos, memória, laços, pessoas que nos são também legatários, ocorre uma fissura em nossa identidade.

Nise da Silveira – imagens do inconsciente

 

Emmanoel Fenelon S. Câmara

Resumo: breve biografia de Nise da Silveira (1905-1999), psiquiatra brasileira que desenvolveu abordagens expressivas com pintura junto a doentes psicóticos crônicos em instituição asilar, promovendo melhora clínica e revelando artistas reais. Teve por base teórica a psicologia junguiana, da qual é considerada a introdutora no Brasil. Criou o Museu de Imagens do Inconsciente

Instinto e Espírito: de adversários a parceiros

 

Mário Batista Catelli

 

Resumo: Na busca dos núcleos de nossos processos psíquicos individuais, podemos chegar até a padrões coletivos da humanidade, denominados arquétipos na psicologia analítica de Jung, que se movem tanto na “extremidade” ligada diretamente aos instintos quanto no polo oposto, com frequência designado espírito. Este artigo propõe-se a tecer algumas considerações acerca desse intrigante território em que o “mais fundo” encontra o “mais alto”, o que acena para os difíceis desafios enfrentados pelo ego ao ter de lidar com as forças que sobre ele se exercem de todos os lados, e para as ricas possibilidades inerentes a uma acolhedora relação do ego com os demais aspectos da totalidade de que ele faz parte.

O sentido da vida

 

Maria Zelia de Alvarenga

 

Resumo: O texto faz uma proposição pessoal sobre o sentido da Vida, formula o conceito de estruturação de consciência, segundo T. Chardin, discorre sobre como saber-se uno com Deus e, em decorrência disso, ter uma participação mais significativa no coletivo; tece considerações sobre o desapego, a liberdade, fazendo referências ao Exodus judaico e à Pessah; expõe, também, a busca do autoconhecimento e nossas defesas; resgata, em Platão, a escolha a que viemos.